Mulherzinhas, de Louisa May Alcott

outubro 18, 2016


Algum tempo atrás eu comecei a minha jornada no Rory Gilmore Book Challenge que está rendendo boas leituras até agora. Como eu disse naquele post lá, é um desafio para a vida! Alguns livros são difíceis de achar, outros não foram traduzidos para o Brasil e outros ainda não são bem livros (são guias turísticos!). É um desafio que vou fazendo aos poucos, sem pressa e conforme meu gosto se encaixe.

Mulherzinhas foi publicado em 1868 e é um livro de inspiração autobiográfico da autora. Conta a histórias das quatro irmãs Meg, Jo, Beth e Amy crescendo entre 1861 e 1865, durante a Guerra Civil Americana.


Há diversas edições publicadas aqui no Brasil e a minha foi publicada pela Editora Melhoramentos que não é uma edição muito bonita, mas além da história integral, traz informações e referência dos costumes da época com ilustrações e notas de rodapé.

A história retrata uma típica família de classe média e seus valores morais como amor à pátria e dedicação ao lar. Ver mulheres cuidando apenas da casa e família não é algo absurdo da época, mas a história também retrata mulheres com personalidade forte, como no caso de Jo (minha personagem preferida, aliás).

Com o pai fora, na guerra, a mãe assume as responsabilidades da casa e com os cuidados das filhas e, durante a leitura, vemos uma evolução de aprendizado em cada uma das quatro irmãs. A chegada do Sr. Laurence com seu neto Laurie muda um pouco a rotina das meninas e apesar da ingenuidade em alguns acontecimento na história que não vemos hoje em dia, é compreensivo pela época em questão. 

Ler clássicos é sempre bom, pois são épocas passadas que fizeram parte da história e expande nosso conhecimento dos costumes. A história de Mulherzinhas é delicada e uma boa leitura para um final de semana.


Você também pode gostar

0 Comentários

Like Us on Facebook

Youtube