Hop-Frog - Edgar Allan Poe

abril 07, 2016


O terceiro conto do Projeto #12mesesdepoe temos uma história que começa até que sutil, mas que termina com um ó! Estou me acostumando com os contos de Poe e desse eu até que gostei, embora fiquei surpresa pelo desfecho.

Hop-Frog é um anão (escravo!?) que fazia graças para o rei e seus ministros. Anões naquela época eram raros e o rei tinha orgulho de ter o seu próprio para fazer as graças. Ele tinha também uma dançarina anã que acaba fazendo amizade com Hop-Frog.

Quando você começa a ler o conto, acha um pouco triste a vida de Hop-Frog que foi tirado de sua terra e provavelmente vendido para o rei como "bobo da corte", mas ele tinha uma regalias que alguns bobos não tinham. O que acontece é que numa festa a fantasia, a amiga de Hop-Frog é tratada muito mal pelo rei e o que desperta no anão é de arrepiar.

Todos os contos até aqui, de Poe, tem um quê de loucura e não acho que seja saudável ler mais de um conto por dia. É meio incomodo ver a sutileza da loucura emergindo no caráter dos personagens, mas o que me chama a tenção é a forma de narrativa que muito me agrada. Parece que o narrador está bem ali do seu lado contando uma história de terror.

Depois de ler este, acho que entendo o motivo de palhaços serem sinistros.

Nota: 3/5

Leia o post de janeiro sobre Metzengerstein.
Leia o post de fevereiro sobre O demônio da perversidade.

Você também pode gostar

2 Comentários

  1. Obrigada por continuar participando do projeto, é por vocês que ele existe!
    A resenha está linkada no meu blog e logo logo vai pro facebook do projeto! Beijos!

    Meu blog: Anna Costa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De novo, gente. O mesmo comentário aqui também. Nem se deu ao trabalho de ler. Copia e cola, que desafio M A R A V I L H O S O. Poe ficaria orgulhoso, só que jamais.

      Excluir

Like Us on Facebook

Youtube