Mariposa

março 11, 2016


Na noite escura,
Sob o manto negro
A pálida diva
Inicia o seu lamento

Cega pelo brilho
Que na escuridão aparece
Encontro de si
Da claridade que esvaece

Acrobacias ilusórias
A dama vai se contorcendo
Sua paixão aumenta
Enquanto vai se aquecendo

Fogo de controvérsia
Aos poucos ela perde o sentido
A sua teimosia
É o trajeto para sua partida

Viagem sem volta
Peripécia da fatalidade
Segundos de vida
E uma luz que não era de verdade

A dança da morte
O bater das asas
Embebedada de brandura cai
No sopro de um instante

Apaixonar-se  foi sua sina
A noite a plateia
A luz uma fantasia, daquela que era

Breve, bruxa e menina.

Você também pode gostar

0 Comentários

Like Us on Facebook

Youtube