Chapeuzinho Vermelho

outubro 27, 2015


A respiração estava ruidosa. Achava que tinha quebrado alguma costela quando caiu em cima daquele tronco no meio da floresta quando estava correndo. Com uma dor excruciante do lado esquerdo parou para escutar. Nenhum barulho.

Precisava chegar a casa da avó antes de escurecer. Rumores de que algo estava rondando o floresta da cidade eram constantes, mas nunca imaginou que eram reais. Não foi uma boa ideia decidido por atravessá-la naquele dia. Agora estava sentindo as dores de sua decisão. Ajeitando a capa vermelha ao corpo seguiu em frente.

Foi quando virou a trilha para a direita que ouviu o uivo. Aquele mesmo uivo que tinha ouvido quando entrou na floresta. Apertou o passo, mas ouviu folhas se mexendo alguns metros de onde estava. Estacou assustada. Sua cabeça estava doendo, mas precisava pensar com clareza no que fazer. Poderia seguir a trilha, mas demoraria para chegar ao destino. A outra possibilidade era deixar a trilha, mas a voz da mãe logo veio dizendo para nunca fazer isso. Ela não tinha escolha. Virando as costas saltou por entre os arbustos e correu.

Viu a fumaça da chaminé antes mesmo de ver a casa. Logo ela estaria a salvo e não pensaria no que poderia estar correndo atrás dela naquele lugar. A casa da avó era sempre um lugar protetor. Chegando à porta, nem pensou em bater, girou a maçaneta e entrou - a avó sempre deixava a porta destrancada durante o dia. Chamou a avó e não obteve resposta. Estranho, aquela hora a avó já estaria trabalhando no jantar a todo vapor. Foi em todos os cômodos e no quintal atrás da casa e nada. Estranho também era o silêncio que emanava da floresta ao redor. Nenhum pássaro cantando. Seguiu até o quarto da senhora e abriu a porta. Estava escuro, mas conseguiu visualizar alguém sob os cobertores. Chegou mais perto e, com cuidado, chamou a avó. Mas não foi a avó que levantou da cama.

Se protegendo com o braço na frente do rosto, ele foi o alvo da criatura. Sentiu os dentes entrando em sua carne e ouviu um estralo, seu braço havia se quebrado com a força daquela mordida. Lágrimas vieram e com um grito de dor de gelar o sangue brandiu o abajur que conseguira pegar no criado mudo. Conseguiu acertar o lado da criatura e isso fez com que soltasse seu braço. Levantando com dificuldade, encarou-o. 

Uma criatura abissal estava a sua frente. O focinho estava encharcado com o sangue de seu braço e um hálito podre saía de sua boca. Era de uma pelagem escura pelo que percebeu à pouca luz que entrava da porta aberta. Os olhos vermelhos mostravam astúcia e analisavam a situação. 

O segundo ataque veio de repente. Com a força do impacto, a menina foi ao chão. Olhando bem nos olhos da criatura, viu sua vida indo embora. A mordida certeira na jugular fez com que o sangue jorrasse para todos os lados. Mesmo assim, a menina tentou se desvencilhar do ataque, mas sem sucesso. A mão boa que apertava o pelo do animal perdeu a força e pendeu para o lado. Os olhos que brilhavam na fraca luz, ficaram opacos. A vida já não existia mais naquele pequeno corpo.

Em poucos dias seu corpo fora encontrado. A única coisa que a identificava era a cesta de vime destruída que outrora estava cheia de guloseimas e a longa capa vermelha que a menina gostava tanto de vestir. Sua avó que carinhosamente a chamava de chapeuzinho vermelho, nunca foi encontrada.

__________________
Texto baseado no conto “Chapeuzinho Vermelho”, Little Red   , no original inglês, escrito pelos Irmãos Grimm.

Você também pode gostar

1 Comentários

  1. Eu adoro releituras. Acho que é uma oportunidade de contar a história do nosso jeito. Lógico que tem gente que não consegue captar muito bem a ideia e acaba não ficando muito legal, mas a sua ficou muito boa.
    As histórias originais contadas pelos irmãos Grimm são bem melhores, mais reais.

    Eu admiro quem escreve bem e tem disposição pra isso. Eu sou muito preguiçosa. A única vez que escrevi algo de "verdade", foi quando publiquei um conto em uma antologia que tinha essa "vibe" de contos de fadas de "terror".

    ResponderExcluir

Like Us on Facebook

Youtube