O doce da cana

agosto 28, 2015


Ele pegou o suculento caule e pôs-se a caminhar...
Agarrou aquele doce como se fosse a única coisa que possuía...
Caminhava nas ruas dos canaviais enquanto as folhas balançavam com o vento...
Seus pés calejados codificavam a inocência de uma criança acariciada pelo trabalho desde cedo.
Apesar de uma vida sofrida estava feliz, pois ninguém roubaria o doce que atravessava suas entranhas.
Enquanto mastigava os fiapos daquele pedaço de colmo anestesiava todo cansaço impregnado em seu corpo.
O caldo que engolia fazia com que ele expressasse toda sua gratidão por tão saboroso alimento colhido com suas mãozinhas...
Caminhando leva consigo a nobreza de não possuir nenhum dinheiro, mas em seu peito saltita um coração feito de sonhos e nas mãos o sabor da vida que sonha...
E à medida que tira os fiapos dos dentes imagina que ainda existem coisas que são doces como o açúcar...
E lá vai ele sentindo o sabor dessas pequenas coisas...
Brilha em seus olhos a meiguice da vida...

...doce como  o mel  da cana...

Você também pode gostar

0 Comentários

Like Us on Facebook

Youtube