Amor platônico

junho 12, 2015

Amar é desconcertar-se a todo o momento.
Submeter-se ao que virá...
É iluminar o coração e deixar com que ele seja o sol da vida.
Amar é lembrar que ninguém está só.
Até as montanhas estão acompanhadas pelas árvores que repousam em suas planícies...
Amar é como a cachoeira que canta uma canção que chora a perda, mas ama. Ama o mar e nele se desfaz.
Um coração irradia a vida e se faz sol de tanto amar.
Amar é perder e encontrar. É doação, partilha dos instantes do que se tem de melhor.
Realidade cheia de impossibilidades, mas recíproca.
Uns temem amar outros amam mesmo temendo...
Enquanto isso alguns ainda não sabem amar e observam o sentimento desabrochando em flor e afoga-os nas águas profundas.
Alguém ainda olha e contempla a montanha...
A montanha um dia foi uma mulher, que tinha um coração, mas hoje ilumina os dias de quem um dia ela quis amar. Ela chora porque ainda ama, não ama aquele que não soube amar. Chora por ter escolhido amar e assim nesse amor estar.
Ama os pássaros, as árvores e as flores que no amor puderam ser germinadas...
Paisagem real do amor cheio de imperfeições... Um amor platônico feito de ideias.
Algo singelo e imaginário e sem subjetividades.
Não existe o ideal, o ideal é apenas amar...

Você também pode gostar

0 Comentários

Like Us on Facebook

Youtube