A casa das orquídeas, de Lucinda Riley

maio 12, 2015


Júlia Forrester passou por uma grande tragédia que a levou a alugar uma pequena casinha fria perto de Wharton Park onde passou toda a infância com seu avô que cuidava das estufas com lindas orquídeas na propriedade. Júlia já não tem mais vontade de viver e mesmo com as visitas que sua irmã mais velha faz para animá-la, nada parece mudar seu humor.

Um dia decide dar uma passada em Wharton Park pra ver como está a mansão e relembrar da infância e lá ela conhece, Kit Crawford, e que já brincaram juntos um dia quando eram crianças. Kit também traz uma tragédia do seu passado e na companhia um do outro parecem que conseguem amenizar essas dores. O que resulta numa paixão bonita.

Numa reforma da casa, um diário é encontrado e toda a história de Wharton Park é revelada, mas para conhecerem os detalhes, Júlia vai ao encontro de sua avó que viveu na propriedade a maior parte de sua vida. 

Numa narrativa intensa conhecemos aos poucos toda a história de Olivia e Harry Crawford, um casal apaixonado que fora separados pela Segunda Guerra Mundial, um romance proibido, um casamento frágil e porquê tudo isso tem a ver com Júlia.

Confesso que no começo não estava afim de ler o livro, pois pela quantidade de páginas que traz, me desanimava. Mas fui persistente e, por ter capítulos curtos, a narrativa flui bem. Claro que a trama ajuda bastante também o que resultou que queria saber toda a história logo e encaixar todas as peças. É um drama de amor bem construído e digno de um filme. 

A única coisa que tenho que ressaltar é que acontece algo que a autora poderia ter deixado de lado. Não acho que acrescenta nada à história e é uma parte que ocupa vários capítulos infelizes - tanto pro leitor quanto pro personagem. E nessa etapa achei Julia fraca e perdida na vida. Mas mesmo com isso, é uma leitura boa para quem gosta de romance e drama. Não é uma história feliz, mas é bonita. 

Você também pode gostar

0 Comentários

Like Us on Facebook

Youtube