Pés descalços

fevereiro 06, 2015


Quente sobre as dunas
Estão os meus passos
Divagando entre lacunas
A caminho de teus braços

O deserto é frio quando a noite retornar
O  dia escalda as lembranças
Das todas as inseguranças 
De quem se quer encontrar

Miragem de duas vidas
Sina do passado
Desengano dessas idas
Na chance de ser amado

A tempestade cegou meus olhos
Meus pés doem das andanças
A sede não pode saciar o orvalho
De uma triste madrugada de esperança

Nas areias de um caminho
Em meio a escuridão
Estarei ali sozinho
Caminhando assim em vão?

Não sinto mais o chão
Que meus pés cansaram em rodar
Nessa vida de amante
De uma história subliminar...


Você também pode gostar

0 Comentários

Like Us on Facebook

Youtube