Tormenta

outubro 24, 2014


Num lugar distante daqui não chove há alguns meses...
A terra sedenta por um pingo de luz chora olhando as nuvens.
Triste terra indefesa expulsou até as ervas mais daninhas para respirar um pouco da neblina de uma ou outra manhã.
Os rios estão sendo esvaziados por assustadores bonecos de carne e osso, onde toda noite ligam suas máquinas matadoras para sugar um pouco d´agua.
O azul virando cinza e aos poucos plantações são dizimadas...
Junto com as plantações encerra a falta de coragem de acreditar... É o fantasma do dinheiro que se junta a todos outros e atormenta a mente de um ser indefeso, transformando-o em um zumbi...
Noite a noite este ser anda mais devagar, liga sua máquina voraz, invade territórios alheios e a epidemia se alastra...
Criações se encerram por não serem cuidadas com zelo... Fome por carne e falta de alimento.
Rios secos e nascentes mortas...
E esses homens arrastam-se no solo cego, agora são fantasmas atormentados por seus próprios medos e ânsias... Não choram mais, pois a terra pede de volta o líquido que foi roubado e tenta se recompor...
Talvez amanhã a esperança venha em gotas ou será tarde demais para esses homens...
Atormentados pelo que acreditavam ser infinito, agora estão condenados a viver como zumbis para sempre... Ou talvez já estejam mortos e aprisionados dentro da mesquinhez...
E uma nuvem escura aparece no céu...


Você também pode gostar

0 Comentários

Like Us on Facebook

Youtube