Prece

maio 17, 2014


Brisa tranquila que viaja, diga para o vento voltar...

Pra que ele sopre o amor aonde passe, que este permaneça pra confortar o sopro da vida...
Vida que se espalha e que esgota como faíscas de rojões em tempo de festa...

Ó Brisa que caminha na calmaria cumprimentando as folhas nos bosques, traga de volta o que precisa retornar.
Não se esqueça de tão somente ser parte deste caminho... Ó doce perfume misterioso expulsado das flores...  Brisa! Se embebede deste mel...  Mas traga o vento.
Ó Brisa, cante com os riachos... Eles precisam ouvi-la para que a água jorre mais pura pela sua delicadeza... Talvez o vento esteja dormindo entre as rochas...
Não demore em voltar, correrei ao seu encontro...
Brisa perfumada de amor... Sentirei meus braços serem tocados pela suavidade do seu abraço...
Vá sem demora e volte com pressa, mas não se esqueça do vento...
Ó Brisa! Vem e traga o que o vento levou de mim...


Você também pode gostar

0 Comentários

Like Us on Facebook

Youtube