A escalada

maio 29, 2014


Sua mala está pesada para começar a escalar com essa bagagem nas costas...
O peso dobra pelo acúmulo das contradições carregadas na alameda de paineiras que margeiam o monumento rochoso...
Deixe todos os objetos para trás, não poderá ir longe com arremates que intimidam seu ser...
Respire fundo, só dê nó na corda se tiver certeza que pode ir além, uma vez o laço dado não conseguirá desfazê-lo mais...
Comece a subir, observe o céu...
Nunca olhe pra baixo, não volte à estaca zero, é preciso continuar para chegar a algum lugar.
Pouco a pouco o oxigênio não será o combustível para seus pulmões... Seu sangue irá ferver... A cabeça rodar pela altitude, mas você já foi longe demais.  
Estará congelando em minutos... A pressão é demais pra ti. Acalme-se!  As nuvens estão logo ali; e em poucos segundos você estará no topo... Mas ainda deve atravessar essas pontas que parecem furar o céu.
Seus ouvidos não ouvem mais nada, exceto as batidas do seu coração... Não pare... É a chance de vencer o que te perturba... É o pico te mostrando o topo, e o topo te chamando...
Não chegará ao alto se não passar pelas pontas estupefatas de suas incertezas endurecidas... É o coração respondendo as suas aniquilações descabidas...
Parece que tudo está mais claro agora e você não enxerga mais a mala que trazia...
Parabéns você chegou ao topo!
Escalou sua própria vida!

Você também pode gostar

2 Comentários

  1. Gostei, mas em algumas frases achei que o som não ficou legal; talvez pq acabaram ficando longas demais em comparação com as outras?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Daniel Monteiro! Talvez sejam as reticências que gosto de colocar nos textos e a separação dos versos... Pois gosto de deixar algo vago pra que o leitor pense...Mas muito obrigada pelo comentário! Tudo isso ajuda em melhorias para os próximos. Abraços. ;)

      Excluir

Like Us on Facebook

Youtube