A lágrima

janeiro 07, 2014


Como um embaraço veio sem avisar, tocou-me com sutileza...
Pude sentir o gosto salgado em minha boca.
Coloriu meus olhos de vermelho e lavou as cicatrizes que ainda precisavam ser fechadas.
Deslizou sorrateiramente nas rosadas maçãs de uma face ainda cheia de dúvidas.
Eu tinha tudo, não o que queria, mas o que precisava...
Foram meus olhos iluminados que transbordaram este meu jeito de viver naquele momento surreal.
Tudo que eu vivera em poucos anos foram apagados pelo único tempo que era verdadeiro: O
AGORA !
É o agora que tem me feito sorrir e despertar a criança "grande" que um dia adormeceu.
E a minha cabeça não entendia o porquê naquele instante a lágrima rolava sobre um rosto pouco amadurecido.
Eu estava bem...
Lembrei-me daquelas etapas que pouco faziam diferença e a tristeza poderia ser inventada por apenas uma, pequena, ingênua e mentirosa lágrima.
Após avaliar muito descobri que a lágrima de felicidade é a única verdadeira.
E então ela veio e pude perceber que era real.
Coloquei -a num frasco com medo de que ela escapasse.
Pois eu estava feliz. . .



Você também pode gostar

0 Comentários

Like Us on Facebook

Youtube