Para sempre

setembro 24, 2013


Nunca foi um menino que tinha sempre algo em que se lembrar.
Nunca lembrou que precisava esquecer.
Nunca esqueceu que precisava menos do que tinha e possuía mais do que necessitava.
Nunca falava pouco, mas calava quem o silenciava.
Nunca deixou que o silêncio tomasse conta e o vazio veio como Nunca esperava.
A ausência vinha como Nunca quisera, mas Nunca não queria ninguém.
Nunca brincava sozinho e não via a hora passar, pois Nunca não tinha tempo.
Nunca não para, apenas pausa pra descansar.
Nunca não sente, apenas consente. Pois Nunca já é adulto.
E adultos aprendem que Nunca é Sempre, e Sempre é Nunca, ou opostos que se atraem e se desentendem.
Nunca é tarde.
Nunca é manhã.
Nunca é um menino adulto cheio de lembranças eternas.


Você também pode gostar

1 Comentários

  1. Olá Tamara
    Lendo tudo por aqui e gostando demais da forma como você escreve. Parabéns, adorei seus textos.

    Estou seguindo seu blog para acompanhar as atualizações e sempre que puder fazer uma visita.
    Abraços

    http://reaprendendoaartedaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Like Us on Facebook

Youtube