Ao que está escondido

agosto 07, 2013


Se eu pudesse explicar o que sinto aqui dentro, não valeria a palavra pra lhe mostrar o quanto me sinto bem.
Mas você achou que fosse brincadeira e afundou o que eu sonhava para nós dois.
Se minhas lágrimas rolassem de uma vez e deslizassem sobre o meu rosto acariciando a minha alma pra dizer, eu estou aqui, teria sido diferente. Mas não creio que possa continuar.
Confundi os traços por onde passava, estou a um passo de desistir do que planejei, meus sonhos se desfazem em pó, pois é loucura querer mais do que eu posso. Mas o que posso?
Onde está você que me acompanha pela trajetória da vida, escondido atrás dos muros pichados?
Não se cura a alma se limitando a relatividade do cotidiano transformando-a em monotonia. Mas foi isso que fiz despercebida. Pois tudo é relativo.
Queria que soubesse que espero algum tempo, não todo o tempo, não sei o quanto isso irá durar...
Ontem eu era apenas mais uma jovem saindo da faculdade e hoje já não sei se sou adulta o suficiente para realizar meus objetivos.
Confundi os ritmos que vibravam em meus sonhos, enquanto o subconsciente conversava com aquilo que ainda estava acordado.
Muito é tempo demais, e pouco não é nada em meio à turbulência trafegada. Como imaginar o que eu deveria fazer em determinado momento? Ou quebrar a timidez e sair por aí, sem me arrepender?
Botei as conformidades na sacola, não poderei seguir sozinha daqui por diante sem relembrar do que ainda não fiz.
Onde estou?
Traçando um jeito novo de ver as coisas, tenho muito pouco pra dizer sobre os sonhos e uma sacola cheia...
Mas procuro sonhar, e ter algo em que me concentrar.
Alguns anos a mais pra somar aos meus e uma busca que quebre os defeitos para se tornarem mínimos.
Ainda encontrarei algo que sane meus anseios.
Não procuro, mas um dia aparecerá; apenas.
........................................................................................valerá.



Você também pode gostar

0 Comentários

Like Us on Facebook

Youtube