Deixa o meu corpo

abril 18, 2013


Ah terra inóspita, digna da morte! Trago a ti o corpo, o vinho e a vida. Atendei-me, oh deuses das profundezas! Já que o peso de minhas aflições não me deixa subir as terras de glória só me resta repousar ao lado do ídolo profano. Abocanhem minha carne, sei que cada demônio quer um pedaço dela; bebam minha alma, e quando o seu líquido branco e quente escorrer pelas bocas difamadoras espero que todos lembrem: provaram da antiga inocência, beberam o vinho e as virgens, tragaram a vida e de sua fumaça apenas a morte foi projetada, e, para que o momento de êxtase perdurasse, me prenderam ao chão, ao lado da jazida Ophelia, onde a história não me deixa subir... Onde o céu é uma antiga e doce ilusão.



Jean Carlo tem 18 anos e é de Natal no Rio Grande do Norte, você pode encontrá-lo no facebook. Se você tem um texto ou crônica e quer ver ele aqui no blog, pode entrar em contato pelo e-mail colinadotordo@gmail.com .

Você também pode gostar

0 Comentários

Like Us on Facebook

Youtube