A rota

abril 20, 2013


Procuro um lugar em que eu sinta a certeza de saber onde estou...
Já faz tempo que ando nessa estrada da vida, venho lendo placas, pedindo carona, e andando a pé.
De vez em quando pego algum ônibus. Me deparo com situações cotidianas. Pessoas anormais para meu conceito de normalidade.
Não tenho mapa, e possuo pouco dinheiro, estes juntados com  minhas economias de um trabalho digno de um salário injusto.
Vou andando, uma  vozinha dentro de mim me diz não é aqui, ou falta pouco. Existem vários lugares  dentre eles errados e certos. Como um senso de direção entre esquerda e direita.
Já caí muito, esses tombos me fortaleceram . Cicatrizes ficaram, mas  foram para modificar algo pífio que por incoerência da trajetória deixei alojado. Isso me deixou  calma perante as comodidades mais óbvias de minha ansiedade que refletiam  em meu sexto sentido...
Procuro um lugar , mas caminho seguro  não existe pra quem não tem medo. É a  coragem a alavanca que me libertou de coisas adversas, pois segurança demais significa falta de coragem...
Passei por uma ferrovia , agachei-me e pude ouvir através dos trilhos, adianta pegar o trem? Ainda não chegou a sua hora - dizia a vozinha dentro de mim . Na verdade,  não existe trem com horário marcado para os audaciosos.
Enfrentei as chuvas da labuta do sol escaldante que queimava meu rosto e desbotava meus cabelos, temporariamente gotículas de água faziam  transbordar a criatividade de meus pensamentos mais infantis.
Muitos encontrei pelo caminho, mas poucos falavam meu idioma e nenhum deles entendiam minhas palavras... Não compreendo porque as pessoas ainda não sabem o que procuram...
Me deparei com cães na calçada castigados pelo tempo e escravizados pelas trapaças humanas, olhos tristes de mistério. Me fez lembrar de que também tenho segredos, que um dia quem sabe, poderão ser revelados... Preciso achar meu lugar. E a vozinha me dizia: Calma!
Creio que estou fazendo tudo que posso, às vezes penso que não consigo nada e vejo quanta coisa fiz em um  pequeno espaço de tempo.
Procuro um lugar onde existam pessoas alegres e gentis, que se solidarizam pelo próximo e façam planos  a longo prazo para realizá-los brevemente. Não é hora ainda...
Estou andando por aí, por aqui, sentido  esquerda - direita, direita - esquerda. Sem mapa, sem dinheiro, andando em círculos.
Quase lá! 



Você também pode gostar

0 Comentários

Like Us on Facebook

Youtube