Tela em branco

março 20, 2013


Tracei alguns riscos embaralhados na memória, o carvão vegetal manchava meus dedos e excluía as tênues lembranças que eu ainda guardava.
As linhas se encontravam em algum lugar, menos em minhas entranhas que se desconsolavam a cada movimento, assim o desenho era formado.
As cores iam mostrando os contrastes diversos, o pincel deslizava sobre aquele plano perfeito.
A paleta sujava o meu avental, o verde virava azul, o amarelo laranja, e assim iam me reinventando. Isso me fez sorrir, lembrei-me do tempo de criança...
Meu estado de espírito sempre foi a inspiração das formas, me orgulho de tantos trabalhos de arte desempenhados e valorizados pela primeira pessoa que precisava saber de meu valor "EU".
Tantas alegrias que viravam tinta por resultado de um desentendimento da combinação de tons...Uma tristeza e uma ocorrência no passado... Apenas uma que comparada as cores da aquarela se sobressaiu.
Joguei muito sombreado apagando o brilho das luzes que mereciam ser realçadas.
Tudo finda...Entretanto a tela esta pronta!
Pra quem quiser vê-la estará exposta no museu Recordações, na sala das inquietudes, a espera do amigo PERDÃO.


Você também pode gostar

1 Comentários

Like Us on Facebook

Youtube